INICIO > AVES DE RAPINA > O QUE SÃO AVES DE RAPINA?
 
Classificação e grupos
Ordem Strigiformes

O que são aves de rapina?


Harpia (Harpia harpyja). Zoológico da UFMT, Cuiabá/MT. Foto: Willian Menq

Texto de: Willian Menq
Atualizado em Fevereiro de 2015

• Definição
As aves de rapina ("rapina" = raptar, aves que raptam) é um termo utilizado para caracterizar as aves carnívoras que apresentam determinadas adaptações para a caça ativa. No geral elas possuem o bico curvo e afiado, garras poderosas e fortes, além de uma excelente visão e audição. Pertencem ao grupo as águias, gaviões, falcões, corujas, abutres e urubus (ordens: Accipitriformes, Falconiformes, Cathartiformes e Strigiformes).

Com base nos dados existentes, existem pouco mais de 550 espécies de rapinantes no mundo, 340 só de espécies diurnas (gaviões, falcões e águias) e 212 só de corujas. Não existe um número exato, pois alguns táxons são considerados espécies enquanto outros cientistas classificam os mesmos como subspécies ou variações. No Brasil, segundo o Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos (CBRO 2014), ocorrem 97 espécies de aves de rapina, sendo 48 da Ordem Accipitriformes (águias e gaviões), 20 de Falconiformes (falcões), 23 Strigiformes (corujas) e 6 Cathartiformes (urubus) e, aliado aos outros países da região neotropical, concentra o maior número de espécies de rapinantes do mundo.

As aves de rapina são encontradas em praticamente todos os continentes e nos mais variados hábitats, desde as matas tropicais até nas montanhas mais elevadas. A variedade de formas e tamanhos é impressionante, havendo representantes com pouco mais de 50 g até águias imponentes com mais de 9 kg. No Brasil, ocorre uma das mais poderosas aves de rapina do mundo, o gavião-real (Harpia harpyja) também chamado de harpia. Com seus dois metros de envergadura e um metro de comprimento, caça animais como cachorros-do-mato, preguiças, macacos e até filhotes de veado. Vive na floresta amazônica e nos trechos mais preservados da Mata atlântica.

• Exímias caçadoras
A fim de encontrar alimento, as aves de rapina desenvolvem uma visão muito aguçada, seus olhos são incrivelmente melhores que o olho humano, o que lhes permite enxergar bem a grandes distâncias. A águia-real (Aquila chrysaetos), por exemplo, consegue ver uma lebre a mais de 3 km de distância. As corujas, também  costumam caçar à noite, seus olhos são bem sensíveis à luz. No escuro enxergam 10 a 100 vezes mais do que os humanos. Em conjunto a excelente visão, sua audição é apuradíssima, localizam uma presa caminhando nas folhagens na mais completa escuridão.

Os falcões são muitos velozes, o falcão-peregrino Falco peregrinus, por exemplo, é considerado o mais veloz dos seres vivos, em um voo picado (quando desce em alta velocidade) pode atingir mais de 250 km/h (não existe um estudo detalhado sobre sua velocidade máxima, mas é certo que ele é muito veloz). Nesses voos picados que realiza para capturar uma presa, o choque contra ela é tão violento que geralmente quebra os ossos da vítima ou até acaba degolando a presa em pleno vôo.

As presas favoritas das aves de rapina variam de acordo com a espécie, há gaviões que preferem roedores e pequenos mamíferos, águias como a harpia que gosta de preguiças e macacos, rapinantes como o gavião-caramujeiro que come exclusivamente caramujos, falcões como o acauã que caça serpentes e outros répteis, etc.


Gavião-bombachinha-grande (Accipiter bicolor). Florestal, é um exímio caçador de aves. Foto: Willian Menq

 

Leia também: