>AVES DE RAPINA >ESPÉCIES> HARPIA (GAVIÃO-REAL)
Harpia (Gavião-real)
Harpia harpyja
PESQUISAS:

BRASIL: No Sul da Bahia, uma Harpia que vem sendo monitorada desde 2008 no Parque Nacional do Pau Brasil pelo Projeto gavião-real do INPA, foi registrada nidificando na UC. Há cerca de quatro meses os pesquisadores do Projeto Harpia na Mata Atlântica notaram que a Harpia já não viajava tanto de um lado ao outro do Parque. Com base nas informações enviadas pelos satélites brasileiros ao INPE, foi possível mês a mês, acompanhar seus movimentos na floresta Atlântica do Sul da Bahia. Desde o início deste ano, ela ficou numa mesma região do Parque, se deslocando em média um raio de dois quilômetros. Antes, se deslocava em um raio de dez quilômetros. Esse foi o indício que poderia ter encontrado um par e fixado território. O ninho foi construído com ramos coletados pelo casal da árvore do ninho e de outras próximas.  Neste caso, a árvore escolhida foi um embiruçu (Bombax humile), uma das mais altas da região. Outra Harpia monitorada pelo projeto foi encontrada morta, essa havia sido solta na natureza em agosto de 2009 e também era acompanhada pelo Projeto Harpia na Mata Atlântica. Após cinco meses de volta à liberdade, os sinais enviados pelos satélites indicaram repetidas vezes para uma mesma localidade onde foi localizada apenas a carcaça da ave.  A causa da morte não pode ser confirmada, pois a carcaça já se encontrava em decomposição. Um exame detalhado dos restos incluiu um Raio X e a imagem sugere a presença de um projétil, porém a bala não foi localizada nos vestígios. Isso dificulta a confirmação que a ave tenha sido vítima de disparo de arma de fogo dentro do Parque. Não se descarta também a possibilidade de um acidente ao caçar que pode ter causado o ferimento fatal.

BELIZE: O programa de restauração de águias harpias em Belize (BHERP, por suas siglas em inglês) começou em 2003 provendo apoio e assistência ao programa de conservação de águias harpias do Fondo Peregrino (The Peregrine Fund). As águias harpias criadas em cativeiro e soltas inicialmente no Panamá são trazidas a Belize e soltas em definitivo em florestas remotas após terem conseguido obter suas próprias presas.  A mais recente harpia solta – um macho nascido em 2005 – totalizando 15 aves soltas em Belize. Esta águia harpia, junto às outras, estabelecerá seu novo lar nas florestas do noroeste do Belize, na unidade de conservação Rio Bravo Conservation Management Area (RBCMA) administrada pelo Programa para Belize (Programme for Belize).  Esta área de floresta tropical, onde estão sendo soltas as águias harpias, faz parte da  “Selva Maya”, a maior floresta tropical continua ao norte da bacia amazônica. A qual abarca aproximadamente 22.000 Km2, estendendo-se desde Belize ao México e à Guatemala. Incluí a região do Petén  – um sistema florestal rico e com alta biodiversidade; e cenário de algumas das mais famosas e bem estudadas ruínas Maias. As águias harpias soltas no RBCMA tem utilizado as florestas dos três paises. Das 15 águias soltas, nove tem sobrevivido e quatro morreram confirmando-se que foram abatidas por pessoas. Consequentemente, a educação ao público tem se identificado como uma ferramenta essencial ao esforço pela conservação da águia harpia do BHERP no Belize (Matola, 2009).

> Fechar Janela <